quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Sempre soube que as melhores noites não são planeadas

Eu não sou de dar grande importância à festa de passagem de ano mas gosto de me divertir nessa noite e entrar no novo ano com um sorriso na cara. Não sou é de fazer coisas glamorousas. Dêem-me a minha família e os meus melhores amigos e sou uma pessoa feliz sem ter que sair de casa.
E este ano foi assim, passei o revelhão com a minha família sem planos de sair. Apesar de sabermos que no bar que gostamos muito ia haver uma festa com música nos anos 70 e 80, não estávamos a contar ir. Mas, por volta da uma da manhã dissémos "bora lá ir ver como está aquilo?", sem intenção de demorar muito. Pus o meu vestidinho tchanan e lá fomos.
Voltámos para casa às sete da manhã...
Fiquei a noite toooda a dançar ao som de uma playlist que parecia ter sido escolhida por mim {eu berrava aos primeiros segundos de cada música}. A certa altura o meu irmão ia ao bar e perguntou-me o que queria beber, ao que eu respondo toda descabelada e aos pulos "eu não quero beber, eu quero DANÇAR!". A menina ficou louca.


Nunca tinha dançado tanto numa passagem de ano! Aleluia aos céus que existe este sítio alternativo na minha cidade para fugir aos padrões de música que se ouve na noite e que não me entusiasma.
Entrei em 2017 com os pés a doer de tanto dançar e muito feliz!

1 comentário:

Mary disse...

Mas que bela noite! Saudades de noites assim... :)