quarta-feira, 15 de junho de 2016

Sim sim, Ronaldo, és o maior da tua aldeia

Há dois dias atrás falava com os meus irmãos sobre o Campeonato Europeu de Futebol, a selecção e essas coisas. Eles não são admiradores do Cristiano Ronaldo, e eu também não. Eu disse que adoraria que Portugal ganhasse uma grande competição daqui a uns anos quando o Ronaldo já estivesse reformado. Adoraria mesmo. Porque não agora? Porque nunca seria Portugal a ganhar, seria só o CR7. Eu não sei porque nos calendários de jogo não substituem o nome do país pelo nome do jogador. Ninguém lhe tira a glória de tudo o que ele já alcançou e que é de facto um jogador de qualidade, mas tem espírito de jogador de clubes milionários. Pior de toda a atenção que lhe é dada a nível internacional em detrimento de todos os outros grandes jogadores que temos, é a histeria que vai com ele no próprio país, que devia torcer por Portugal e não por CR7. E depois, por cima disto tudo, uma pessoa ainda vai hoje de manhã a ler as tristes declarações que ele deu ontem à noite, e pensa, este gajo não é um capitão, este gajo é um tumor que não pára de crescer. Eu preferia que Portugal perdesse todos os jogos, que fossem uma equipazinha de merda, mas que fossem uns senhores, dentro e fora de campo. Mas sei lá, se calhar sou um bocado à antiga. Em contrapartida, CR7 vem de uma outra casta portuguesa, daquela casta "sou o maior da minha aldeia", conhecida pelo seu baixo QI e alta propensão em reproduzir-se.

Descubram as diferenças:

 


P.S - Dizem eles por aí que a táctica da equipa de Portugal é "passa a bola ao Ronaldo", bom, a táctica mais próxima disso que vi ontem à noite foi mesmo a do "passa a bola ao Quaresma". Eles sabem.

P.S. 2 - tremam, tremam :P