segunda-feira, 23 de maio de 2016

Este post é muito "first world problems"

Nos últimos dois anos, a série Game of Thrones tem ganho uma popularidade abismal. De certo ficará para sempre no grupo dos colossos da televisão, ao lado de Ficheiros Secretos, Twin Peaks, Star Trek, Friends, Seinfeld, etc. Eu comecei a acompanhar a série em 2013 porque as pessoas vinham ter com o meu manager a dizer que ele parecia o Jon Snow do Game of Thrones, e nós toca de "vamos lá ver o que é isto". Nessa altura já tinham saído duas temporadas. Devorei-as. No trabalho, eu e o meu manager só falávamos disso. Depois comecei a ler os livros e, para além de saber de coisas WTF de antemão, comecei a ganhar o gosto por discutir as teorias com amigos e colegas que também estavam a ler os livros. Fiquei a saber que se podem passar horas a falar de Westeros. Fiquei então com mais vontade de acompanhar o que vinha e curiosa como algumas cenas iriam ser feitas na tela. Desde a terceira temporada, tenho uma tradição que é, claro, ver a série à segunda-feira, já que ela sai no domingo e eu preciso recorrer à pirataria. É só um dia, um diazinho, mas nos útimos dois anos, um dia parece muito tempo quando se trata de fugir aos spoilers. E muito pior este ano, em que a série já continuou para além do último livro editado, e já não sabemos mesmo o que vai acontecer. Não dá para andar na net, seja redes sociais, imprensa, blogs. Parece que mais nada aconteceu no mundo ao domingo à noite! Já sei que na segunda, até chegar à hora de estar em casa descansadinha e poder ver o episódio, não posso usar a Internet. Só para ver o e-mail e vir escrever no blog! Ai vida...