quarta-feira, 16 de março de 2016

Uma outra Primavera Marcelista?

Ainda é muito recente, é certo, mas é impossível não notar que há um grande entusiasmo em volta do nosso novo presidente. Como se ele viesse arejar um casa que há muito se encontrava fechada e cheia de mofo. O que sabemos é que o Professor Marcelo é um comunicador. Fala pelos cotovelos e isso torna-o mais alcançável aos olhos das pessoas. Gostando ou não, há que concordar que o homem tem carisma. Um grande oposto ao que recentemente tínhamos no Palácio de Belém. Tem um espírito diplomático que o faz ter muitos amigos aqui e além fronteiras, e ser mais-ou-menos consensual à direita e à esquerda.
Aos portugueses, parece-me, está sobretudo disposto a dar carinho. E se pensarmos bem nisso, não tínhamos nenhuma figura de Estado que nos viesse passar a mão no pêlo, e no fundo, essa é uma das responsabilidades do Presidente da República, por mais ridículo que pareça. O presidente tem que contribuir diariamente para a auto-estima da nação, e pode fazê-lo de variadíssimas formas. E dar uma ou duas palavrinhas de aconchego ao povo, convenhamos, não custa nada.
Na primeira semana depois da tomada de posse, o bicho parece estar já imparável. Ele é quebra de protocolos, ele é cantar rap, ele é chamar o povo ao palácio, ele é visitar o Papa... "Bom!", energia não lhe falta, e a ver vamos. E que esta segunda Primavera Marcelista seja mais do que uma falsa expectativa.