terça-feira, 8 de março de 2016

O sol espera por nós

Vivemos uma luta injusta. A injustiça é que nem sequer nos concedem a opção de lutar. Não temos direito a gostar do que gostamos, a querer fazer o que fazemos, ou a não querer o que não queremos. Na inépcia que vai na cabeça desses seres que nos acham seres diferentes ou que não nos consideram seres de todo.
Todos os dias, olho para o mundo e este é o ar que respiro. A raiva vai crescendo na minha para eles inexistente alma. Sei qual é rumo que a minha vida está a tomar, e não poderia ser outro. Vou ser eu a caminhar ao sol, sempre.
Hoje, penso especialmente nas mulheres que amo. Nas minhas companheiras. Nas mulheres que fazem da minha vida o que ela é. A mulher que me deu a vida. As mulheres que me acompanham desde sempre. Aquelas que partiriam garrafas p'ra me defender. As que ficam comigo no fim do dia. Na mulher que partiu à aventura comigo e com quem viajo sozinha para todo o lado. Mulheres sem as quais eu não era quem sou.