domingo, 29 de novembro de 2015

Buy Nothing Day

Algumas pessoas escolheram celebrar o Buy Nothing Day na mesma sexta-feira do Black Friday.
Por momentos, fiquei entusiasmada com a ideia, até me lembrar que eu já estou a celebrar o Buy Nothing Day há uns meses.




quinta-feira, 26 de novembro de 2015

A modos que já é Inverno e eu quero é vinho quente


Estou a pensar que nesta contagem decrescente, há alguns sítios que eu quero revisitar em Londres, antes de ir embora. Mas isto de ser Inverno não calha nada bem. Pubs e museus? 'Tá. A gente vê-se. Parques e ruas? Hmmm, fica para a próxima.


sábado, 21 de novembro de 2015

Bélgica

No fim-de-semana passado, fui visitar Bruges e Bruxelas. A viagem foi logo no dia a seguir aos atentados de Paris, e em solo belga, vivia-se um clima de grande normalidade.
Parece que já não é o caso, de momento.
Apesar da estranheza de ir numa viagem de lazer ao mesmo tempo que se vivia uma situação caótica e muito triste perto de nós, tentámos aproveitar ao máximo a terra dos chocolates, da cerveja e do Tin Tin.
Eu não tenho muito jeito para escrever sobre viagens, nem paras as fotografar, gosto mesmo é de as sentir. Viajámos de comboio desde Londres até Bruxelas, com ligação a Bruges no comboio mais espectacular em que já pus a pata. Foi fantástico atravessar o campo com direito a ver muitos cavalos, vacas, ovelhas, e enfim, muito verde. Há lá coisa mais romântica que uma viagem de comboio. Só para quem não vê filmes.

Já quanto às duas belas e distintas cidades, Bruges foi tão bom quanto esperava, e Bruxelas surpreendeu-me. Normalmente não se fala de Bruxelas como cidade para visitar em lazer, mas é de facto lindíssima, cheia de coisas para ver (e de waffles a €1!).

Cá vão algumas fotos assim ao molho.

Bruges by night

Manneken Pis - Bruxelas







Bruges e os seus cavalos

Bruges vista desde a torre do sino, qual Colin Farrell



Olha um Eusébio de chocolate! (brincadeirinha)

Na loja mais espectacular!







Os que habitam a casa do outro lado do canal - Bruges



Dentro da Catedral de Saint Michel em Bruxelas


Palácio da Justiça





Palácio Real

A bela da waffle


Faltou-me dizer que por causa da proximidade com o Natal, e pelo facto que agora, devido a algumas mudanças, demorarei algum tempo até viajar de novo, foi ainda mais especial. Mas oxalá.





terça-feira, 17 de novembro de 2015

Nunca gostei de ti pá

Estou aqui cheia de medo que o vento me quebre os vidros da janela. Londres é uma cidade de vento, mas como hoje... Nossa. Vai ser uma noite às claras, está-se mesmo a ver.





sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Music is a time machine

Hoje lá no trabalho ouvi um cover meio jazzie disto que me voltou a trazer esta música que aqui há uns anos me batia tão forte. E já faz dez anos que saiu, minha nossa. 


quarta-feira, 11 de novembro de 2015

E lá vêm os fatalistas com os seus fatalismos

Eu cá sempre vivi nessa tal chamada de crise. Eu cresci naquele que foi durante muitos e largos anos, o único distrito do país sem um quilómetro de auto-estrada, apesar de ser aquele que está mais perto da Europa. Até o comboio nos tiraram no início dos anos 90. Eu venho daquelas gentes do continente, sim os transmontanos, que sempre sobreviveram sem estar a contar com os apoios do governo central. Eu venho de gente que sabe trabalhar a terra, porque acreditem ou não, é o primeiro meio de sobrevivência e sustento do ser humano (!). Eu venho de uma das regiões com a primeira grande massa de emigração do país nos anos 60. Eu própria emigrei há quatro anos atrás. Eu já vi como é estar deste lado, e sinceramente não me sinto mais rica, nem financeiramente nem emocionalmente, só se for em experiências! E agora penso, nos meus singelos 28 anos de vida, quantos governos não vi já eu cair. E quê? Não tenho amiguinhos nos partidos. Por isso, vou só ali ao campo ver se as camélias já floriram.


terça-feira, 10 de novembro de 2015

Don't panic

Estava a falar com um colega de trabalho sobre os planos para o futuro próximo, ao que ele me responde "mas tens a certeza que queres fazer isso neste momento?"...



Eu juro que só me apeteceu dizer: "Oh pá, querer, quero, mas realmente tens razão, não devia. Deixa lá, fica p'ra outra reencarnação". Não disse, mas mantive as garras afiadas e a minha convicção. Pessoas, se não têm nada mais argumentado e mais positivo para dizer, calem-se. Principalmente se não sabem nem metade da estória, então calem-se mesmo.
É tão fácil atirar com a nossa negatividade para cima dos outros que nem percebemos, o quanto isso pode afectar as outras pessoas na prática. O quão ridículo se torna, e o quanto se vira contra nós mesmos. A seu tempo.
Ainda bem que eu dei de caras com aquela barraca dos coletes anti-negativismo em promoção.





quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Kindness is magic*

Londres é uma cidade confusa, apressada e impessoal. Mas por todos os lados é inundada com pequenos actos de bondade que tornam tudo isto tão especial. Pequenos actos de bondade que eu quase tenho a certeza, não são tão comuns em cidades pequenas como o são aqui. Já tive um ou dois percalços em que ninguém me deu a mão e que pensei "porra, isto até em Londres alguém me ajudaria". Porque talvez aqui queremos dar algum calor à frieza de viver entre desconhecidos. A bondade por parte de estranhos... como o vizinho que não te conhece de lado nenhum no teu prédio de 60 apartamentos que te abre a porta porque não encontras as chaves, ou a senhora que vai com pressa, mas te segura as portas do elevador abertas porque entretanto tens toda a tralha que carregas no chão e nem te consegues mover. Estas pequenas coisas. Uma a uma todos os dias. A bondade é mágica.


quarta-feira, 4 de novembro de 2015

E lá ao fundo, Sinatra canta...

She gets too hungry for dinner at eight
She likes the theatre and never comes late
She never bothers with people she hates
That's why the lady is a tramp

Doesn't like crapgames with barons or earls
Won't go to Harlem in ermine and pearls
Won't dish the dirt with the rest of the girls
That's why the lady is a tramp

She likes the free fresh wind in her hair,
Life without care
She's broke and it's ok
Hates California, it's cold and it's damp
That's why the lady is a tramp

O Outono tem destas coisas. Quer dizer, para uma nostálgica como eu, é o Outono, o Inverno, a Primavera... Estou a abraçar memórias. E a pensar, "porra, que jornada tem sido". E agora que começo a sentir outros desafios a chamarem por mim, vejo como não podia ter feito as coisas de outra forma, para terem sido da melhor forma. Os meus vintes têm sido mais repletos do que aquilo que imaginei há uns anos atrás. Não podia estar mais feliz por ter tido estes últimos anos para descobrir e me descobrir. Se a vida é feita de capítulos, porque tudo tem um início e um fim, então o da minha juventude, será sempre um milhão de estórias para sorrir. Porque esta idade nos dá aquelas inseguranças em que pensamos que poderíamos estar a fazer um milhão de coisas que não estamos, quando o que realmente importa é o que estamos a fazer agora e não mais vamos recuperar. São as pessoas, e os lugares, que conhecemos e que se calhar não vão ficar nas nossas vidas, mas que são tão parte das nossas vidas. Nada pode apagar o que num determinado momento foi ou é tão importante para nós. E se agora estou (estarei finalmente?) a tornar-me uma adulta, que seja de bem com a vida e de bem com o que já lá vai. E o que está para vir. Que esta lady será sempre uma tramp. Isso eu sei.

Oslo, Setembro 2015, celebrando as 28 primaveras

domingo, 1 de novembro de 2015

Inserir *título de destaque*

Estava a ver um noticiário português e este é o seguimento das notícias:

- Sporting;
- Chelsea, Real Madrid e afins;
- Campeonato do Mundo de Rugby;
- Temporal e cheias no Algarve.