sexta-feira, 9 de outubro de 2015

A merda do politicamente correcto, ça m'énerve

Vivemos no tempo dos fundamentalistas. Passámos do tempo em que se podia insultar tudo e todos, e havia mais era de calar, para o tempo em que até os mais claros e pequenos enganos são enxovalhados de insulto e preconceito, são tema mediático, enfim, quase que são azo à revolução. Ou esta gente não tem mais que fazer, ou são todos completamente parvos. Mas onde é que ficou o bom senso?
Sim refiro-me ao caso de José Rodrigues dos Santos e o seu "deputado ou deputada". E o que tenho a dizer é que ...[rufos]... foi claramente um LAPSO. Deal with it.
O jornalista apenas noticiava que o deputado mais velho tinha 70 anos e por não saber de quem se tratava (porque ele não tem a obrigação de saber o ano de nascimento de todos os deputados) e por também, lá está, querer ser politicamente correcto, referiu os dois géneros, pois podia ser macho ou fêmea. Ele NÃO sabia. Não, não foi nenhuma piadinha de mau gosto. Foi apenas um jornalista a querer fazer o seu trabalho da melhor forma possível, ou como pensou na altura que seria a melhor forma. Parem lá de querer arranjar discriminação onde não há, porque discriminação já há bastante. Agora vejo os portugueses todos armados em defensores dos direitos humanos pelas redes sociais a condenarem o jornalista. É que arranjam qualquer coisinha para se pronunciarem de bons feitores. A retórica é muita. Será por se tratar de um deputado? Vejo frequentemente pessoas mediáticas em Portugal a serem verdadeiramente insultadas e mediocrizadas pela sua sexualidade e ninguém os defende. Onde é que ficou a vossa moral? Só se usa às vezes? Tenham dó. E os casos de violência doméstica e mulheres assassinadas que assolam este país de primeiro mundo? Também não vejo ninguém do povo a falar disso nas redes sociais. Desculpem lá mas VÃO À MERDA. E como referiu depois José Rodrigues dos Santos ao falar deste caso. "Não sabia que Quintanilha era homossexual nem me interessa". Pronto! Podemos continuar com as nossas vidas?




Sem comentários: