quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Cidades de amor e ódio


When a man is tired of London, he is tired of life  just as tired as anyone else, really.


Decidi reescrever a famosa expressão de Samuel Johnson. Hoje conversava com um colega, quando ele me diz "faz dois anos que cá estou (em Londres), não me imagino a viver aqui para sempre". Ao que eu (já veterana nisto de me querer ir embora) respondo prontamente "pff, não imaginas tu nem ninguém, toda a gente diz que Londres é espectacular, é espectacular, mas a verdade é que quase toda a gente quer ir embora e só estão aqui pelo dinheiro ou pelo emprego".
Quando nisto, chega o nosso manager que é inglês, e diz "claro que é só pelo dinheiro, Londres é como um super aeroporto, com pessoas a chegar e a ir embora, que não se preocupam com mais nada a não ser os seus pertences, comem que nem uns porcos e seguem caminho".
Foi a melhor comparação que já ouvi.



segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Emmys






Mais do que merecido minha querida Viola Davis. A tua Annalise deixou-me com pele de galinha todo o santo episódio. Que pena que tenhas abandonado a série.


domingo, 13 de setembro de 2015

O voto do... meh

Veio-me hoje ao pensamento que daqui a menos de um mês, serão as eleições legislativas em Portugal.
Quando era mais nova, tinha mais consciência política do que agora. Não participava activamente na forma do "fazer parte de alguma juventude partidária ou assim", mas tinha opiniões e tinha tendências. Vivia mais informada, e acima de tudo, sentia aquele grande dever de ir votar. Não entendia a abstenção e até me dava raiva. Votei algumas vezes em branco porque, para mim sim, esse é o voto do protesto (eu sei que o voto é secreto).
Lembro-me de quando era pequena ir acompanhar os meus pais nos dias das eleições e pensar que mal podia esperar para me ser também dada aquela honra. Lembro-me de ter sentido essa honra a primeira vez que fui votar em 2005.  Achava (e ainda acho) a democracia assim para lá de espectacular.
Passados dez anos da minha primeira ida às urnas, as minhas circunstâncias mudaram tanto, que me tornei um daqueles zombies que vivem a leste do que acontece com os nossos governantes e deputados. Ok, também não estive presa (no pun intended), tenho acompanhado alguns títulos. Mas já não tenho opiniões, nem tendências políticas.
Assim de longe, acho que todas as cores fazem falta no parlamento, mas não conheço a grande parte dos candidatos e principalmente as suas propostas (se é que isso conta para alguma coisa, já sabemos). Venho daquelas famílias, a escassear em Portugal, que ainda olha para a política com a melhor das intenções, isto é, sem interesses. Mas talvez por isso mesmo, hoje em dia já não tenho pachorra para política. Vi tanta coisa a nível local que pode muito bem ser um espectro do que acontece a nível nacional. Mas somos um país da Europa do sul, análogos a esta "individualidade acima da comunidade", e assim, como já foi dito muitas vezes "nunca chegaremos a lado nenhum". De resto que prevaleça a esperança, e que um dia possamos ter de novo essa visão romântica do líder que nos conduziu a bom porto, mesmo que seja só reconhecido uns cem anos depois. Embora não dê muito jeito, que já não estaremos por cá nessa altura, os poucos de nós que não são vampiros.




quarta-feira, 9 de setembro de 2015

O que tem de ser, tem muita força

É incrível como, por vezes, há coisas que acontecem que são o empurrão que nos faltava. Uma dose extra de motivação. Eu sou daquelas pessoas que, sim, admito, estou sempre à espera de algum "sinal divino" para tomar decisões importantes. E quando esse tal sinal vem, não me restam dúvidas, nem me restam medos.




terça-feira, 1 de setembro de 2015

Welcome!


Her bones will ache, Her mouth will shake, And as the passion dies, Her magic heart will break
She'll fly to France, 'Cause there's no chance, No hope for Cinderella
Come September
 

Her violet sky, Will need to cry, 'Cause if it doesn't rain, Then everything will die
She needs to heal, She needs to feel, Something more than tender
Come September, Everything wrong gonna be all right
Come September


The souls that burn, Will twist and turn and Find you in the dark No matter where you run
But lost her spark, And what she's pushing for, She can't remember

Everything wrong gonna be all right
Come September



Natalie Imbruglia, Come September