sexta-feira, 10 de abril de 2015

Hoje é dia dos irmãos

Tenho dois, rapazes, mais velhos, e sempre foram muito importantes na minha vida, e sempre o serão. Somos como uma ninhada de cachorros inseparável, embora estejamos longe. Tenho pena de quem é filho único e não sabe o que é esse amor especial e distinto, e tenho ainda mais pena daqueles irmãos criados em ambientes hostis e negativos e se deixam de falar ou afastam (como é que é possível?). Os irmãos são o rochedo que, seguindo a vida o seu natural rumo, nos vão acompanhar até ao fim. Conhecem-nos até à espinha. São os nossos advogados de defesa. São os nossos juízes. São os nossos cúmplices no crime. São o nosso sossego e desassossego. Assim é o amor.

Deixo aqui uma das minhas fotos favoritas da nossa infância.



E não podendo estar com os meus irmãos de sangue, next best thing, vou passar a noite com os irmãos de vida, os meus amigos. Festa do pijama a ver filmes de terror, pois claro.


Sem comentários: