segunda-feira, 23 de março de 2015

Tube crush

 <3 br="">
Ok, chega de parvoíce.
Lembro-me de quando há uns quatro anos atrás, eu pessoa suuuuper avançada na web, aprendi a fazer estes corações. E ficou toda contente a criança.

Adiante.
Já me tinha esquecido da quantidade de olhares que se trocam no metro. Passei um ano a usar maioritariamente o bus, e já nem me lembrava dessa tal coisa a que os londrinos chamam de tube crush. Basicamente uma atracção por uma ou várias pessoas numa viagem de metro. Nos autocarros. cada um vai na sua vida, a olhar para a rua ou para o telefone. Também acontece um crush de vez em quando. Eu pessoalmente, acho que tive a minha mais intensa troca de olhares num autocarro. Mas no metro é que a coisa aquece e se multiplica. Não há muito por onde escapar. As pessoas estão sentadas frente a frente, não há rede no subterrâneo, e há moças e moços giros que se fartam por todo o lado. A não ser que se vá a ler um livro ou um jornal, é impossível não trocar olhares com estranhos. Às vezes é creepy, mas a maior parte das vezes parece a cena de uma comédia romântica. E depois ele ou ela sai na estação seguinte e a vida continua, mas aqueles segundos valem a pena e alegram o dia. E como eu costumo dizer, é sempre bom guardar a imagem do bonzão na memória para uso futuro, nunca se sabe. Ah pois, porque convém termos um arquivo cheio de material estimulante para as noites solitárias. Ok, ok, eu páro já por aqui...
Hoje vinha no metro, numa linha que nunca tinha viajado, com os pensamentos lá bem longe, a ver se não perdia a paragem, quando olho para um moço lindo que estava a olhar p'ra mim. E pronto, pensei para mim, welcome back to the tube. Claro que corei logo e desviei a cara para o outro lado, como caguinchas que sou.

Basicamente o cão sou eu quando olho para um moço giro.






E depois há isto: http://tubecrush.net/ . Não tenho a certeza sobre a legitimidade deste site, já que usa a imagem de pessoas sem a sua autorização, e se fosse com mulheres em vez de homens, caía o carmo e a trindade, certamente. Sim, eu sou contra abusos tanto com mulheres como com homens. Mas bem, enquanto o site não desaperece, vai-se dando uma espreitadela.

Eu juro que não sou depravada. Sou só garganta. (E não, isto não foi um inuendo.)


Sem comentários: