segunda-feira, 23 de março de 2015

Tube crush

 <3 br="">
Ok, chega de parvoíce.
Lembro-me de quando há uns quatro anos atrás, eu pessoa suuuuper avançada na web, aprendi a fazer estes corações. E ficou toda contente a criança.

Adiante.
Já me tinha esquecido da quantidade de olhares que se trocam no metro. Passei um ano a usar maioritariamente o bus, e já nem me lembrava dessa tal coisa a que os londrinos chamam de tube crush. Basicamente uma atracção por uma ou várias pessoas numa viagem de metro. Nos autocarros. cada um vai na sua vida, a olhar para a rua ou para o telefone. Também acontece um crush de vez em quando. Eu pessoalmente, acho que tive a minha mais intensa troca de olhares num autocarro. Mas no metro é que a coisa aquece e se multiplica. Não há muito por onde escapar. As pessoas estão sentadas frente a frente, não há rede no subterrâneo, e há moças e moços giros que se fartam por todo o lado. A não ser que se vá a ler um livro ou um jornal, é impossível não trocar olhares com estranhos. Às vezes é creepy, mas a maior parte das vezes parece a cena de uma comédia romântica. E depois ele ou ela sai na estação seguinte e a vida continua, mas aqueles segundos valem a pena e alegram o dia. E como eu costumo dizer, é sempre bom guardar a imagem do bonzão na memória para uso futuro, nunca se sabe. Ah pois, porque convém termos um arquivo cheio de material estimulante para as noites solitárias. Ok, ok, eu páro já por aqui...
Hoje vinha no metro, numa linha que nunca tinha viajado, com os pensamentos lá bem longe, a ver se não perdia a paragem, quando olho para um moço lindo que estava a olhar p'ra mim. E pronto, pensei para mim, welcome back to the tube. Claro que corei logo e desviei a cara para o outro lado, como caguinchas que sou.

Basicamente o cão sou eu quando olho para um moço giro.






E depois há isto: http://tubecrush.net/ . Não tenho a certeza sobre a legitimidade deste site, já que usa a imagem de pessoas sem a sua autorização, e se fosse com mulheres em vez de homens, caía o carmo e a trindade, certamente. Sim, eu sou contra abusos tanto com mulheres como com homens. Mas bem, enquanto o site não desaperece, vai-se dando uma espreitadela.

Eu juro que não sou depravada. Sou só garganta. (E não, isto não foi um inuendo.)


domingo, 22 de março de 2015

Frases



E quanto ao sorteio da Liga dos Campeões

Sei que já vem um pouco tarde o desabafo mas... tinha que nos calhar já o futuro campeão da Europa? Tinha mesmo?? Raisteparta.

Eu estou bem, não, juro que está tudo bem. Snif.  Não estou nada triste com isso. Snif. Ao menos, seremos eliminados nas mãos de uma grande equipa. Snif. Alguém tem um lenço de papel?


Amo-te Shoreditch!



Casa nova, vida nova. Depois de duas semanas de ter começado um novo trabalho, veio a mudança mais aguardada, a mudança de casa! Até agora esta foi a melhor prenda que 2015 me ofereceu. É impossível não voltar a apaixonar-me por Londres, morando naquela que é a sua área mais vibrante.
Ontem, depois de três anos, disse adeus a Elephant and Castle, finalmente.
O meu primeiro dia em Shoreditch foi passado a desempacotar e a arrumar (credo, mudanças), porque queria deixar tudo mais que despachado para ter o meu Domingo livre para aproveitar o que de melhor há na vizinhança. E foi o que fiz. Columbia Flower Market, Brick Lane, Spitalfields Market, Hoxton Square, com direito a um saltinho de 15 minutos (ai adoro!) até Liverpool Street Station para ir carregar o oyster, e uma caminhadazinha de 10 minutos (adoro, adoro) até Old Street, só porque sim.
Hoje já descobri novos cantinhos e lojinhas de antiquários, e espero continuar a descobrir muitas mais relíquias.  E depois da vida diurna, falta-me explorar a vida nocturna de Shoreditch e aí é que o bicho vai pegar!
Se isto não fosse assim já para lá de espectacular, mesmo sem sair de casa consigo disfrutar da cidade, isto é, ficar à janela do meu quarto embasbacada a olhar para a City, Canary Wharf e etc.
Acordar com este pano de fundo deixa qualquer um inspirado para o resto do dia, adormecer com este pano de fundo é... indescritível.

(Peço desculpa pelas fotos do meu telefone não serem as melhores)






segunda-feira, 16 de março de 2015

Há dias assim

Há dias, em que mais do que outros, sentimos a falta daqueles que melhor nos conhecem. Há dias, em que mais do que outros, valorizamos essas pessoas e percebemos, como se não soubéssemos já, que elas são a melhor parte da nossa vida. Elas são a felicidade, o amor, a paz, a esperança e a saúde. Elas são a sorte.

E todos os dias são dias de nos lembrarmos dessas borboletas que trazem a primavera às nossas vidas. Mas há dias em que temos que puxar por nós e lembrar da primavera que nós também trazemos à vida delas. Há dias em que temos que nos lembrar que quem melhor nos conhece é o espelho da nossa alma. Porque um dia decidiram dar-nos mais do que cinco minutos de conversa, ou nos convidaram às suas casas, ou porque partilhámos comida e medos e alegrias com a mesma fome, ou porque vieram conhecer os nossos lugares.

Há dias em que temos que nos lembrar desses espelhos que reflectem o nosso carácter, e que em tudo, retribuem amor, verdade e alegria.
Há dias em que faz mesmo falta estarmos rodeados daqueles que nos conhecem. Daqueles que sabem exactamente o que vai na nossa mente, daqueles que conseguem ver a virtude e a nobreza no nosso estranho jeito de ser, daqueles que se nos virem cair uma lágrima, choram connosco e nos dão um doce, daqueles que se riem da mesma piada ainda antes de a vocalizarmos, daqueles que reconhecem o que já fizémos para chegar até aqui, daqueles que sabem que somos um rio profundo, e que os rios profundos correm com menos barulho.
Que sorte eu ter tanta sorte!

terça-feira, 10 de março de 2015

Clube do meu coraçãããão

Como cantava a claque simpática do sketch dos Gato Fedorento, "equipa, por favor, não marquem mais golos, pois o nosso adversário já está aborrecido!"