segunda-feira, 9 de junho de 2014

São noites assim

Eu e a minha partner in crime. Jantar sushi no Soho. Fazer uma visitinha ao Off-licence. Caminhar até Charing Cross com uma cidra na mão. Conversar com os sem-abrigo e outras habituais personagens de rua. Ser literalmente "cheirada" por um sem-abrigo. Cantar clássicos da música portuguesa (sim, até incluindo Delfins!) sentadas nas fontes de Trafalgar Square. Ouvir System of a Down e outras bandas da adolescência aos berros no telemóvel. Recusar marijuana de um dealer, "qualité number 1!", dizia ele. Rir sobre tudo e sobre nada. Ir ao Tesco às duas da manhã comprar bolo de chocolate e pimentos (porque me apetecem pimentos assados, posso?). Caminhar pelo Whitehall com os pimentos na mão. Fazer as habituais declarações de amor a Londres na Westminster Bridge. Porque é assim que gostamos dela, deserta, numa madrugada quente de segunda-feira. E caminhar até casa fazendo filosofia urbana.
São noites assim que justificam tudo.

Sem comentários: