quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Minha nossa!


Estava aqui a comiserar em frente ao computador quando me lembrei: o meu blog! Bem me que eu tinha esta sensação há uns dias de me estar a esquecer de alguma coisa...


Ora então Feliz 2014 gente! Votos de um ano muito risonho para todos :)

Deixa cá ver, considerando que é o nono dia do ano, ainda vou a tempo para os votos de bom ano que não sei se há uma data em que deixa de ser socialmente aceitável desejar Feliz Ano Novo, que é quando o gaiato já deixa de ser recém-chegado. Eu cá desconfio que é ali entre o dia 10 e o dia 15. Portanto, na próxima semana, 2014 já é mais uma coisa adquirida e podemos avançar com as nossas vidas. Great.



Adiante.

Eu ainda não contei aqui a aventura de ir a casa este Natal. Bem que dava para ver pelo meu último post que eu já desconfiava (imaginar a Ágata a cantar) que a coisa não ia correr bem a 100%. Muita gente evita voar dia 24 porque é sempre correr o risco, porque caso o voo seja cancelado, puff, foi-se o Natal. Mas estas pessoas são inteligentes e eu não, que para além de burra, bem-intencionada, já que queria tirar o mínimo de dias possível para ajudar na altura mais movimentada no trabalho. Mas como qualquer bom asno quadrúpede que se preze, sou também acompanhada por um grande sopro de sorte. No azar de ter o meu vôo marcado no aeroporto mais atingido pela tempestade, onde houve um corte de energia logo pela manhã (uma hora antes do meu vôo sair), e onde 105 vôos (partidas e chegadas) foram cancelados na véspera de Natal, o meu SÓ saiu sete horas atrasado, e foi pelos vistos, um dos poucos a sair. O pessoal do vôo da tarde para o Porto e o que voava para Lisboa lá ficou. Uma amiga minha que ia no vôo da tarde para o Porto foi obrigada a passar cá o Natal sozinha, naquele que ela diz que foi o pior dia da vida dela. Eu daria em louca, mas pronto quando cheguei a casa, mesmo a hora de jantar, foi aproveitar estar com a família e esquecer a manhã horrível de espera e interrogação. Sim, porque até pormos pé no avião não sabíamos se íamos sair ou não. E como referem nas notícias e bem, não se via UMA ALMA do staff do aeroporto de Gatwick, quanto mais informação sobre o estado dos vôos ou qualquer tipo de apoio, já que também muitas crianças havia entre os milhares de pessoas sentadas no chão do átrio do aeroporto à espera de notícias. É inacreditável mas é verdade. Os únicos funcionários que vimos de manhã foi um moço da easyjet e um senhor da British Airways que foram para o balcão de informações enfrentar a multidão. DUAS pessoas para milhares de passageiros. Tá. E acredito que estes pobres também não tenham tido um dia fácil. Parece que mais tarde foi para lá a polícia já que os funcionários desapareceram.
Enfim, pelo menos a lição fica aprendida e voar na véspera de Natal, jamais. Foi como nos filmes mas pior. Nos filmes sempre se resolve, e o protagonista, depois de todos os desastres, lá consegue chegar a casa mas desta vez muitos protagonistas ansiosos por estar com a família, tiveram que se contentar com um bocado de chão e um café do Starbucks.

Christmas Eve chaos at Gatwick Airport

Gatwick boss apologises

Blame game

Gatwick bosses under fire


1 comentário:

Joana disse...

Esse gif é lindo :))
Ora então feliz 2014 e um brinde às lições aprendidas!