segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Crimewatch: Madeleine McCann

Suponho que em Portugal o caso Maddie esteja na calha outra vez, só pelo facto que por aqui está de volta à ribalta. Isto porque o programa Crimewatch da BBC produziu um filme que faz a recostrução dos eventos da noite em que a pequena desapareceu, sim com actores e tudo (que diga-se de passagem bem mais bonitos e jovens o casal na realidade) a ser transmitido logo, às nove da noite (BBC1).
Pelos vistos, tudo está muito curioso por ver o Crimewatch (estava eu às sete da manhã a entrar no elevador no trabalho e já dois cámones a falar disto) porque pelo que consta vão ser divulgados novos dados pela polícia, e que podem ajudar a desmantelar o que realmente aconteceu, inclusive dois retratos robot descritos por diferentes testemunhas que apresentam o mesmo rosto, supostamente o indivíduo que foi visto a entrar no complexo de apartamentos da Praia da Luz naquela noite.
Com tantas crianças a desaparecer neste mundo, chega a um ponto de ridículo o mediatismo que foi criado à volta deste caso. Aqui, claro, os McCann são sempre tratados pelos media como vítimas e coitadinhos que estavam a passar umas férias na praia em família e perderam a filha. Ai, coitadinha desta família inglesa rica e branca e com bons conhecimentos, eles não merecem tal coisa, são tão apessoados, que tragédia. Pois claro que não, ninguém merece. E eu espero, que se ela não for encontrada, que encontrem ao menos uma resposta. Mas haja bom senso. Estes pais deixaram uma menina de três anos e dois gémeos bébés sozinhos numa casa enquanto foram jantar fora (e o restaurante ser do outro lado da rua não é desculpa). Claro que passados estes anos ninguém os vai culpar por isso, e não foram os primeiros nem serão os últimos. Mas que assumam a responsabilidade que tiveram no desaparecimento da filha e não se armem apenas em heróis. Hoje lia um excerto de uma entrevista no jornal Metro em que a Kate McCann dizia qualquer coisa como nós não fizémos nada de mal, quem foi lá e tirou a nossa filha é que fez. (Não encontrei o excerto da entrevista). Mas eu pergunto, pergunto, será que não lhe dói um bocado lá dentro a escolha que ela fez essa noite? Não lhe ficaria bem um "Não protegi a minha filha e fiquei sem ela, por favor, ajudem-me!" Ganhava a minha simpatia, não que isso seja importante...
Se calhar estou a ser um bocado dura, mas falando do fundo do meu honesto coração, estou farta dos McCann até às orelhas.



Sem comentários: