domingo, 22 de setembro de 2013

Open House Weekend

O penúltimo fim-de-semana de Setembro é o Open House Weekend. Dois dias em que centenas de edifícios emblemáticos de Londres abrem as portas gratuitamente. Estes edifícios cobram entrada ou não permitem de todo visitantes durante o resto do ano, e a ideia é tornar a arquitectura acessível a todos. Porque não podemos nós, mesmo sem sermos homens e mulheres de finanças, so-called-city-high-flyers, sentir o que é estar dentro do Gherkin? Só temos que esperar várias horas na fila do Open House Weekend... Bazinga! Pois, este fim-de-semana já é um evento de culto, e claro que muita gente adere e se levanta cedo da cama e prepara a marmita para esperar horas à porta dos edifícios mais populares e ter a oportunidade de entrar. Noutros, as filas não levam assim tanto tempo. Eu espero para o ano ter a oportunidade, ou seja, o fim-de-semana livre e estar na cidade, para me preparar e entrar no máximo de edifícios possíveis. Este ano só fui a um. Ah pois. Mas pelo menos, posso dizer que ainda aproveitei a oportunidade. Como ontem estive a trabalhar, só tive a manhã de hoje para me juntar a uma das filas. O meu escolhido foi a Tower Bridge.
Acho que já deu para perceber que adoro esta ponte e todo aquele quadro envolvente, a torre de Londres, a City, as docas, a cúpula da St. Paul's Cathedral lá ao fundo, e claro, o Tamisa. Podia eu perder a oportunidade de entrar nas torres da ponte ou visitar a sala dos motores que movem o tabuleiro?
É possível visitar a ponte por dentro em qualquer outro dia mas paga-se bilhete. Quando passámos às nove da manhã pela entrada, vimos que a primeira visita ia ser às dez com vinte pessoas, ora, como éramos menos de vinte na altura, eu e o Silverboy decidimos juntar-nos porque só teríamos de esperar uma hora, Mas claro, que depois é o velho truque do amigo que se atrasou porque ainda estava no combioi ou a tia que foi comprar café, então a fila inchou por magia e ficámos nos números 21 e 22! I should be so lucky! Resultado: esperar mais uma hora pela próxima visita. O Silverboy queria desistir (o mesmo rapaz que o ano passado esperou sete horas para entrar no Gherkin) e ir tentar outros edifícios mas eu mantive-me fiel às minhas convicções e decidi que ficava. Afinal era só mais uma hora e tínhamos a certeza que na próxima entrávamos, já que éramos os primeiros da fila. Conversa daqui, conversa dali e a hora até passou surpreendentemente rápido. Lembrei-me agora que o nosso assunto principal de conversa foram as autárquicas, ou melhor, os posts que lemos no facebook sobre isso. Estamos um pouco a leste, diga-se, a norte. Mas pelo que vejo, as autárquicas continuam divertidas como sempre...
A ponte!
Pois, valeu bem a pena, já que não há nenhum limite de tempo e podemos andar lá em cima a apreciar a vista o quanto quisermos. A juntar a isto, duas exposições, "Bridges of the world" e "This is London", dois pequenos filmes, um a explicar a história da ponte e outro, a forma como a energia hidráulica é usada para mover os tabuleiros. Que por falar nisso, a ponte abriu enquanto estávamos lá em cima! Ah! E para terminar a engines room. O coração, fígado e tripas da Tower Bridge.

Ficam aqui algumas fotos da visita à Tower Bridge num domingo de Outono em Londres :)


O engenheiro, o arquitecto e a rainha falam-nos de como tudo começou!






Hahahaha bullying ao escoceses, sempre!

A melhor descrição. É isso.


Não sabia, mas bem interessante este episódio. Vou pesquisar.


A ver os pópós e as pessoas cá de cima.

Na sala dos motores.

Aqui punham o carvão...

para pôr esta menina a mexer.


Sem comentários: