quarta-feira, 26 de junho de 2013

Um paraíso a preço de saldo

Não encontro melhor forma de descrever os quatro dias que passei em Pula, na Croácia. Passaram rápido mas deu para fazer tudo. Passear, comer, beber, dançar, nadar, mergulhar, boiar, bronzear... conversas parvas e risadas com os amigos... Enfim, toda uma panóplia de elementos que a vida deveria ter sempre. Pula tem aquele quê de inocência. Cidade pequena e calma onde a industrialização maciça ainda não chegou. Onde as gentes são gentes da terra. Falam, brincam e sentam na rua a, alegremente, ver a vida passar. Faz-me lembrar a minha Bragança de há uns quinze (vinte?) anos atrás. Tirando que lá ao fundo está o mar. E que falta faz, ver o mar! O mar Adriático é calmo, e encheu a minha alma de sossego. A praia não tem areal, mas tem pedras lindíssimas. A água é transparente (pelo menos para mim é bem transparente que Deus sabe os lagos lamacentos em que eu já entrei!), e o sol... o sol! Queima a pele e ergue o espírito! Eu sei que pareço um bocado histérica, mas esta viagem foi uma benção. Depois de tanto tempo sem ir à praia, de viver numa estufa húmida e ventosa chamada Londres e de não saber mais o que é calor a sério, uma pessoa fica assim um pouco parva quando apanha sol. Ou quando caminha na rua à uma da manhã e ainda estão 26º! Verídico :)
E para além de todos estes motivos, para lá de profuuundos, a Croácia é um destino barato. Aqui entra o cliché de que para quem vive em Londres, tudo o resto parece barato. Mas é mesmo bastante acessível. Mais barato que Portugal. Ora vejamos, uma Libra vale cerca de nove Kunas (não sei se é macho ou fêmea). Um café numa esplanada custa 7 kunas, ou seja nem uma libra! E um prato de peixe/mariscos num restaurante variava entre 35 e 55 kunas. Eu comi um óptimo spaghetti de marisco e os meus amigos comeram calamares pela módica quantia de 35 kunas/4 libras! Digam-me onde se cobra assim no Algarve que eu vou lá já para o ano! Para nós londrinos então, isto é estupidamente barato. E gelados a 6 kunas?? Tivessem sido as férias maiores e mais uns quantos tinham marchado.
Outra coisa boa é que Pula não tem muitos turistas. Tem algum turismo sénior, franceses, alemães, e mais umas quantas famílias de turistas vindas de Itália logo ali ao lado. Turistas ingleses são ainda poucos, felizmente! (Eles que se deixem estar para lá a superpovoar o sul de Portugal e de Espanha.) Talvez esse será também o motivo porque os menús dos restaurantes estão nestas línguas todas menos em inglês! Ou porque os empregados nos cumprimentam sempre em alemão ou italiano.
Mais razões? Um belíssimo coliseu, o templo, o castelo, as igrejas, as ruelas, os jardins, ah e já me esquecia... a Karlovacko! A cerveja croata pelos vistos, tem fama de ser boa, e esta é a marca mais popular. Especialmente na versão Radler, aquela que sabe a limão. Que eu não cheguei a beber, porque como sempre, me armei em parva e pedi outra marca com sabor a laranja, que foi uma confirmada desilusão. Mas vá que ainda provei um pouquinho da Radler e posso garantir que é bem boa! Bolas. Fiquei-lhe com vontade. Para uma próxima.
Será que se eu misturar Becks e 7Up, sabe ao mesmo?


Sem comentários: