sábado, 29 de maio de 2010

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Ora vamos lá ao "Put your Itunes on Shuffle"

...ou media player, porque eu não tenho Itunes. É um questionário parvo sobre a nossa pessoa, em que vamos buscar as respostas à nossa playlist (medo).
Consiste em pôr o Itunes (ou media player) em modo aleatório, e a música que o programa for buscar é a resposta à pergunta!
Tirado daqui e daqui.

Ora cá vai:

1.What do you think of yourself?
Living on a prayer - Bon Jovi. [We've gottta hold on to what we've got. It doesn't make a difference if we'll make it or not] não sei, mas era uma das músicas que me levava a ver o Jovi Jová ao vivo!

2.What do you think of you family?

Turn me on - Norah Jones. "Ca medo"!! Se bem que ela na música diz "come home and turn me on", se não dermos um sentido malicioso, até calha bem!

3.Whats the first thing you think when you wake up?
Ticket to ride - The Beatles. Olha que por acaso :) D., morde-te!!

4.What do you think of you mother?

Big Girl, You Are Beautiful - Mika. Hahahaha, e é mesmo, rechonchuda, mas linda de morrer!!

5.What do you think about marriage?

Boys don´t cry - The Cure. No comment...

6.What is you secret dream?

Hey Mickey - Toni Basil. Haha! Espera aí, o meu sonho secreto é ter um Mickey só p'ra mim ou ser cheerleader?? Hmmm. My money's on the first one.

7.If you could make one wish what would it be?

When you were young - The Killers. Ser sempre jovem... de espírito! [We're burning down the highway skyline, on the back of a hurricane that started turning when you were young]

8.What do you think of your job?

All I want for Christmas is you - Mariah Carey. Nem mais! Um novo emprego no sapatinho, se possível antes do Natal...

9.What do you think of your best friend?

I can only try - Mission Impossible Soundtrack. Muito da pesada, mas eu tento sempre, claro!

10.The cutest guy/girl just looked at you and smile what do you think?

When did your heart go missing? - Rooney. Banda, não o jogador.

11.You just won the super bowl what are you going to do next?

A Whole New World - Aladin Soundtrack. Haha. É isso mesmo, mudar o mundo!

12.What do you think of life?

Taquetinho ou lebas no focinho - Trabalhadores do Comércio. Bem que isto já estava a demorar a descambar...

13.The absolute ugliest guy asked you out. What do you say?

Respect - Aretha Franklin. Sempre ouvi dizer que o respeitinho é muito bonito! :P

14.Someone just stepped on your toe with a high heel. What do you say to them?

Wish you were here - Pink Floyd. Havias de estar no meu lugar, para ver como elas de doíam, ó tanço!

15.What do you think about in the shower?

Patchouli - Grupo de Baile. [Ai que bem cheiras, que bem cheiras dos sovacos/O que elas gostam de te ver e de cheirar, o teu perfume patchouli/O-ho, O-ho, O-ho]. Com higiene e animação, é assim que se deve começar o dia!

16.What do people think of you?
Good Vibrations - Beach Boys. Oh *_* Ainda bem que o pensam porque é o que eu tento ser!

Tráilarai!

O raio da novela outra vez…

Eu sei, mas desta vez é para achincalhar… Que episódios ranhosos, os últimos.
Luas-de-mel que nunca mais acabam… Eh pá, por muito que eu gostasse da minha cara-metade não tinha pachorra p’ra tanto passeio, champagne, pequeno-almoço e lamechice. Poça, que enjoo.
Afinal a novela que se aproxima mais da vida real anda ficar muito irreal!
Esta gente não tem que trabalhar, não?
Não tem que ganhar a vida?
Agora é só festinhas e festões?
Isto anda a ficar muito “glow” para o meu gosto.
Ainda começo é a ver o “Regresso dos Incríveis” (e não vou fazer nenhuma piada ao facto de estarem sempre a regressar), que é capaz de ser menos “glow”! Com um bocado de jeito, o CR9 leva uma vida mais humilde que esta gentxi!!

Midnight's statement I

Não há lógica na vida.
Não há linhas rectas, lá isso não.
Hoje eu e o meu irmão, recordávamos um dia em que traçámos o cenário mais surreal que podia acontecer no meu futuro profissional.
Aconteceu.
Por isso eu acredito tanto no que é improvável.
A vida ri-se de nós e a nós, olha, só nos resta rir da vida.

Brother - “Mas lembras-te que eu disse??”

Eu - “Mas eu já tinha dito, disse-o na altura e lembro-me que no momento senti mesmo que era o que ia acontecer.”

Brother – “Sim, mas esse dia fui eu que o disse, e lembro-me exactamente do que respondeste!”

Eu – “O que é que eu disse?”

Brother – “ ‘Já acreditei menos no pai natal’ – foi o que tu disseste.”


So true.

terça-feira, 25 de maio de 2010

Sr.F

Tenho facebook.
Gosto do facebook.
Gosto de utilizar o facebook.
Não gosto da forma como algumas pessoas utilizam o facebook.
É muito engraçado irmos volta e meia ao Sr.F, mandar umas piadas, ou até deixar uns pensamentos mais sérios. É muito útil, divulgarmos e tomarmos nota de vários eventos e ocasiões.
É muito interessante conhecermos as sugestões de cinema, música, etc. que por lá deixam.
Isto gosto.
Agora, os “apetece-me comer kiwis”, “hoje comprei bananas”, “vou à casa de banho”, “vou dar uma volta ao bilhar grande” é que não!
Eh pá, who cares?!?! Eu sei que este tipo de mensagens rápidas são o objectivo de modelos como o facebook e o twitter, mas pá, tenham alguma misericórdia!!!
E depois ainda vêm os opinion makers!! Ai como eu odeio opinion makers de redes sociais, eh pá se querem dar a vossa opinião, façam um blog, que ao menos ninguém lê, perdão, é obrigado a ler!
Estou-me a lembrar do Woody Allen, em Annie Hall, desesperado na fila do cinema “he’s screaming his opinions in my ears!!”. Como eu te entendo, Woody.
E sem acrescentar a isto coisas como “Vou comprar um I-tretas xpto, qual acham que devia comprar?”
”Ai porque vais comprar um I-tretas xpto, compra apenas xpt, que chega bem” “Ai mas já tenho um x, um p, um t, um xpt, agora preciso mesmo do xpto, o que faço??”
O que fazes? Eu digo-te… Mata-te!
“Este ano vou vestir-me de travesti”
E eu com isso?
“Fiz a barba”
Espero que te tenhas cortado.
“Estou exauto(a)”
Então devias estar a dormir em vez de estar no facebook!!
Enfim… eu no fundo o que eu sinto é pena, porque já o outro dia discutia com alguém, que actualmente se criou uma mística qualquer na cabeça dessas pessoas, que se não partilharem a vida toda no facebook, é como se elas próprias não existissem, não tivessem vida!
Isto é assustador.


Tenho alguns amigos que não têm facebook. Será que eles existem? Serão eles amigos imaginários??

domingo, 23 de maio de 2010

E ontem descobri que...

A selecção portuguesa está em terceiro lugar no ranking da FIFA?!?

Tudo bem que eu não ligo a rankings, e toda a gente sabe que não significam nem servem para nada mas a reacção foi mais ou menos assim.

Fiquei esclarecida por saber que...

Segundo o meu irmão, no que trata a moral, há três tipos de pessoas: as morais, as imorais... e as amorais!

Estávamos nós a falar de comportamentos estranhos de pessoas com uma forma de viver ainda mais estranha (por coincidência, os jétesétes cá do sítio), e eu digo ah e tal, não sou só eu, todos dizem que não conseguem perceber essa gente.
Ao que o meu irmão responde:
- "Isso porque essas pessoas são amorais..."
- "Amorais?!" - respondo eu.
- "Sim. Tens os imorais, aqueles que são selvagens e que crescem sem presença de valores, tens os morais, que supostamente é a maioria da sociedade, e depois tens os amorais, que são aqueles que pensam que estão acima da moral."

Tem lógica.

quinta-feira, 20 de maio de 2010

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Woof!!





Acabo de receber uma mensagem de uma amiga a dizer "ajuda-me a dar banho ao cão".
Ok, eu também acho que os amigos são para todas as situações.

sexta-feira, 14 de maio de 2010

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Oh pá! Oh pá! Oh pá!



Estávamos no café, e eu contava à C. e ao R., como os dias em que tinha ficado em casa, com a minha amiga constipação, tinham contribuído para começar a acompanhar uma novela.

Já lá vão uns anos que não acompanho uma novela, sim, porque para ver basta ter a T.V ligada enquanto estou a jantar ou a arrumar a cozinha. Relatava à C. o quão importante era o facto do Bruno ter decidido contar às irmãs que era irmão delas e como tinha andado ao pinotes com uma delas, o que era deveras chocante mas que era tudo boa gente e uma parte emocionante da estória estava aí a chegar… blá blá blá…

O “que horror, ver novelas!” não é comigo, já que cada um tem a liberdade de ver o que bem lhe apetece e ter os seus próprios gostos, qual é a diferença entre uma novela e séries como a “Anatomia de Grey”, por exemplo? Pois esta última, não me apanham a ver de certeza. Lá porque eu habitualmente não veja novelas, não é porque tenha medo que durante a transmissão o televisor se transforme num monstro e me engula, é apenas porque não me apetece ou não tenho tempo (já conheci quem trocasse as saídas com amigos pela novela), ou há outras coisas mais interessantes para fazer. Mas se me apetecer, vejo, se achar que naquele momento não tenho mais nada interessante para fazer, vejo.

Estávamos no café, a televisão estava ligada na Sic, e pronto, num instante, Bruno, Luciana e o resto da malta entraram pelo café adentro sem ser convidados.

Oh Meu Deus, vai ser agora, ele vai contar!
A televisão estava em mute, no café só se ouve música. Claro! Iam agora estar ali as pessoas a confraternizar com gritaria brasileira de fundo!!

Ai mas ele já está a falar com elas!! Não consigo perceber nada!!
Pelo menos sete pessoas daquele café, incluindo eu e a C. colaram-se ao ecrã, eu como espectadora, e a C. como intérprete, já que ela consegue ler lábios e tentou, por gesto de amizade, esclarecer-me de tudo o que estava a acontecer.

Durante largos minutos assim ficámos colados ao ecrã. O R. já barafustava, mas nós não ouvíamos.

Ai! O drama, o horror! Já dizia o Albarran.

De repente, o dono do café, sai de trás do balcão e pega no comando, num gesto abrupto!

Oh oh oh não acredito que ele vai mudar de canal! Olha Olha! Nãããããããão!

Dono do café carrega no botão…

TELETEXTO

A isto eu chamo ser bem atendido.

Lá estarei amanhã...


Um sítio que há muito tempo quero conhecer.

Apontamento

"Quem está dentro não tem culpa que o outro esteja fora" by C.
A coisa mais profunda que ouvi sobre Roaming.

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Papa em Portugal II

Não tive a oportunidade de referir no anterior post (acerca deste mesmo assunto) que respeito tudo o que se possa dizer e todas as opiniões acerca do Papa e da visita a Portugal.
Também digo desde já que fiquei extremamente chocada, escandalizada, indignada, quando soube da estória das tolerâncias de ponto. Ok, eu entendo, no caso dos lisboetas e dos portuenses, que tendo de trabalhar teriam sérios problemas no trânsito e deslocações, mas para o país inteiro?!?!? Então quando soube que os funcionários de instituições religiosas não vão beneficiar desta tolerância... ai ai ai... Say what?! Meus amigos, o que é isto?? (não espero resposta)...
Desde quando que a FP (sigla basta) é o pilar principal da Igreja no nosso país?
Bem.... divagações e diversas opiniões à parte, o que ninguém pode negar é a fantástica recepção que está a ser feita ao Papa. E não estou a falar de um montão de gente mártir à procura de milagres. Estou a falar de multidões, alegres multidões, muitas crianças, muitos séniores, muitos jovens, muito "pessoal cool", a acompanhar os vários pontos da visita!
E é tão bom ver (e uma chapada de luva branca para muita gente) que há mais festa e alegria na recepção ao Papa, que na recepção ao plantel do Benfica!
Então afinal, já só é o futebol que põe este país a mexer?
Estarão mesmo certos valores ultrapassados?
Terão esses mesmos valores ficado estagnados "há muito, muito tempo, eras tu uma criança"?
I don't think so...

Nós mudamos, o mundo muda, nós mudamos com ele, ele muda connosco.
Haja alegria!

Hoje o dia está-me a correr muito bem ou é impressão minha?

Primeiro um telefonema a dar uma boa, muito boa notícia: "Olhe, não tenho agora aqui a sua média, mas lembro-me da sua nota final... Só houve três classificações muito bom e você é uma delas..."

yeah baby!! [dança parva como quem festeja um golo]
Gosto quando o empenho e trabalho é devidamente recompensado sem olhar a heritages...

E depois ainda outro telefonema também muito sugestivo no campo laboral. Hmmm. Estou a gostar. Quero mais chamadas destas.

terça-feira, 11 de maio de 2010

Papa em Portugal

Estava eu a ver as últimas da visita do Papa ao nosso país na Sic, quando nisto aparece na reportagem um grupo de malta jovem a cantar "E viva o Papa! Lalalala lala! E viva o Papa! Lalalala lala"... linda música mas com aquela melodia que... bem, que anos a fio eu cantei com outra letra... Algo como: "Bebe essa m****! Lalalala lala! Bebe essa m****!" e escusado será dizer que se fez de imediato uma associação de imagens dentro da minha cabeça! Metade do meu cérebro a pensar numa coisa e a outra metade, pois a pensar no que restava!
E foi isso mesmo!!
Durante uns segundos os dois mundos que partilham a minha vida, o sagrado e o profano, pararam e olharam-se de frente... e não foi bom. Não. Não foi bonito.

Lluvia y abrazos rotos

Depois de quatro dias de molho em casa, devido a uma constipaçãozinha que se revelou mais agressiva que o esperado, saí finalmente à rua, e deixem-me dizer que foi uma sensação WOW! É sempre bom voltar a ver a luz do dia [apesar do dia nublado, cinzento e chuvoso]...
Sim, é que está uma alma constipada a encaminhar-se para o seu cursinho de español quando lhe começa a chover a potes em cima! Vá, vá, o que vale é que eu até gosto de chuva...
Mas!... o problema é que tive que começar a correr, ok, pronto, a dar passadas rápidas até ao instituto, quando nisto me dá uma DAQUELAS cãibras que oh my dog, como diria a outra "era o se te vias!", uma cãibra capaz de lesionar qualquer jogador de futebol profissional na primeira jornada do campeonato... Não admira, não! Quatro dias enclausurada sem mexer os presuntos, pois é o que dá!!
Ainda estou a recompor-me do "resfriado" (dito da forma finória), e o que vale é que parece que el profesor adivinhou que estou mentalmente mais débil que o normal e a aula de hoje foi para !cine! O quarto filme de nuestros hermanos que vimos este ano e o segundo de Almodóvar...



Ainda só deu para ver metade, amanhã verei o resto, mas cheira-me que temos filme! Mas não tanto como Todo sobre mi madre, o meu para siempre filme predilecto de Almodóvar.

Que comece a festa!

5...

4...

3...

2...

1...
Eh pá, sempre gostei de contagens decrescentes (menos na carteira)!
Dou então início a um blog, que é somente mais um blog. Deixo isto já esclarecido aos futuros leitores (meia dúzia de amigos?) deste espaço...
São irregularidades, o relato de aventuras e desventuras de uma rapariga um bocado totó.
E na primeira pessoa... na primeira pois, porque não posso falar pelos outros, falo ao menos por mim, falando de mim e dos outros...


...0!